PGRSS: Saiba a importância deste documento para o seu consultório odontológico

Atualizado: Jul 14


Os consultórios odontológicos, assim como os demais serviços relacionados com o atendimento à saúde humana, são responsáveis pela produção de grande quantidade de resíduos. Por isso deve-se existir um cuidado específico e um descarte adequado para esses resíduos contaminados e altamente infectantes.


Ao avaliar o conhecimento e a conduta de dentistas em Salvador a respeito do gerenciamento dos resíduos gerados em seus estabelecimentos, um artigo publicado na "Revista de Ciências Médicas e Biológicas" constatou, através de um questionário sobre o descarte dos resíduos, que aproximadamente 60,3% dos profissionais entrevistados desconheciam a existência ou não possuíam o Plano de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde (PGRSS) em seus consultórios. Visto que esses tipos de resíduos são altamente infectantes, o acondicionamento destes junto aos resíduos comuns - uma prática rotineira entre os estabelecimentos odontológicos - é bastante preocupante, pelo fato de que os indivíduos responsáveis pelo manejo interno e externo destes resíduos entram em contato direto com os mesmos, pondo em risco sua saúde.


Além disso, vale ressaltar a importância da segregação para diminuir o volume dos resíduos infectantes, pois quando são misturados aos resíduos comuns, estes passam também a ser considerados infectantes.


Dos profissionais entrevistados, 94% dizem ter conhecimento sobre a legislação e relataram descartar o material perfurocortante em concordância a mesma. A maior parte deles não acondicionava os resíduos do grupo A (infectantes/biológicos) de forma adequada e gerenciava inapropriadamente os resíduos químicos, o restante dos profissionais desconhecia como os resíduos eram transportados.


Os resíduos do serviço