Análise SWOT como ferramenta estratégica em sua empresa.


Autor: Thiago Leal


Como uma das ferramentas clássicas da administração e gestão estratégica, a Análise Swot é uma grande aliada no processo de tomada de decisões dentro das empresas. Por meio de sua abordagem simples, ela proporciona uma visão sistêmica em relação a algum projeto ou estratégia, permitindo uma análise prática para a diminuição de riscos e escolhas com mais chances de sucesso.


Mas, afinal, o que significa Swot? O nome vem do acrônimo inglês: Strenghts (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). A partir do estudo desses elementos chave, é obtida uma visão realista dos cenários na qual a empresa está situada, tanto do ambiente interno quanto externo.


No que se refere ao ambiente interno, são avaliados todos os processos e atividades que ocorrem dentro da organização. Ou seja, tudo aquilo na qual a empresa possui um controle direto. Dentro desse ambiente são analisadas as forças e as fraquezas.


1. Forças:

São os aspectos que diferenciam o negócio em relação a concorrência, elementos de destaque na organização e as aptidões mais fortes.

Dentre esses pontos positivos podemos ter como exemplo uma boa localização, facilidade de acesso e distribuição de mercadorias, equipe comprometida e marca de reconhecimento no mercado.


2. Fraquezas:

Nesse aspecto, são considerados as questões internas que podem prejudicar o crescimento da empresa e que as desfavorecem em relação aos concorrentes. São os pontos a serem amenizados como processos internos demorados, equipe desqualificada e atraso no aprimoramento tecnológico.


Já no ambiente externo, são considerados os fatores que fogem do controle da empresa, independentes de seu funcionamento interno. Nesse cenário se encaixam crises econômicas, acontecimentos políticos, cultura regional e concorrência. Dentro desse ambiente são avaliados as oportunidades e ameaças.


3. Oportunidades:

Constituem os acontecimentos externos positivos aos negócios da empresa, mudanças externas no mercado que favorecem o funcionamento das atividades da organização e o poder de compra do cliente.


4. Ameaças:

Compõem os eventos externos que podem trazer influencias negativas para o negócio, criando um ambiente desfavorável para a empresa. Dentre os obstáculos tem-se como exemplo as crises econômicas, a entrada de concorrentes no mercado e as mudanças legislativas.


Uma vez tendo discutido, levantado informações e avaliado os quatro pontos comentados, é recomendado se fazer uma compilação dos dados mais relevantes em uma matriz, proporcionando uma visualização rápida e clara do diagnostico realizado. Assim, temos como exemplo a matriz SWOT do Mc Donalds :


Referência: https://esagjr.com.br/blog/marketing-e-vendas/analise-swot/7308


Com as informações em mãos e organizadas de forma esquemática, é possível traçar táticas e estratégias mais assertivas. Além disso, a empresa pode ir além e aproveitar da matriz para cruzar os quadrantes entre si, identificando quais forças podem potencializar as oportunidades, os pontos fracos a serem corrigidos para diminuir o impacto das ameaças e outras possibilidades.


A partir isso, é esperado que a empresa consiga crescer com escolhas mais inteligentes, otimizando seus recursos e ficando mais resiliente frente as ameaças, assim como aproveitando seu diferencial para ser referência no mercado.


Gostou desse artigo? Compartilhe com seus conhecidos para que eles possam utilizar a análise SWOT como ferramenta estratégica em sua empresa.


#mcdonalds #swot #empresas

0 visualização

Nos siga nas redes sociais!

© 2020 Prisma - Empresa Júnior de Engenharia Química da UFBA

  • LinkedIn - Círculo Branco
  • Facebook - Círculo Branco
  • Instagram - White Circle

Entre em contato conosco:

(71) 99338-4832

Fale com um dos nossos consultores!

  • whatsapp-logo (1)