Manual de Boas Práticas x POP's: Você sabe a diferença?

Atualizado: Out 7

Autor: Mateus Gomes

Em um cenário de princípios cada vez mais enxutos, o tempo se tornou um recurso cada vez mais valioso nas empresas, na qual a otimização de atividades se tornou um ponto de melhoria a ser considerado em boa parte delas. Paralelamente a isso, a necessidade de manter a excelência na execução das tarefas também é uma prioridade nesse cenário. A partir desse panorama, surgem o Manual de Boas Práticas (MBP) e Procedimento Operacional Padrão (POP), que buscam solucionar duas questões fundamentais: Otimização de Atividades e a Qualidade na Execução.


Apesar de ambos terem a finalidade de padronizar, sequenciar e dar agilidade a processos operacionais, cada um desses serviços atende a uma necessidade específica. Gostaria de saber qual encaixa melhor às suas necessidades? Leia o artigo a seguir.



1. Por que são tão parecidos?

A princípio, antes de iniciar a distinção entre esses dois documentos, é importante ter uma noção geral do porquê deles serem similares e os pontos em que ambas convergem, certo? Isso se deve principalmente porque tanto o Procedimento Operacional Padrão quanto o Manual de Boas Práticas têm a finalidade de padronizar operações e procedimentos dos mais diferentes nichos, desde laboratórios até o segmento industrial. Ademais, ambos são atualizados de acordo com os padrões das normas específicas, havendo a possibilidade de coordenar e padronizar serviços facilmente, integrar equipes, aumentar a produtividade e manter uma postura ética transparente.


2. Nível de Complexidade do Problema

Afinal, qual o tipo de problema que você está encontrando? A princípio, o POP é um tipo de documento mais voltado a aprimorar um procedimento específico com a finalidade de otimizar e trazer uma concepção mais facilitada de como uma atividade sobre as mais diversas possibilidades deve ser executada, por meio das normas regulamentadoras do nicho de atuação do cliente. Dessa forma, o MBP se diferencia por ser mais direcionado a questões mais complexas, não somente de um procedimento mais de todas as atividades de um determinado setor ou segmento, havendo a necessidade de uma revisão legislativa mais elaborada e de um suporte de treinamento mais estruturado.