Óleo de fritura: de resíduo à matéria-prima

Atualizado: Out 7


Seja de girassol, soja, milho, oliva ou de coco, o óleo é um item indispensável na cozinha, sobretudo em processos de fritura e cozimento. Embora ele esteja tão presente na rotina alimentar das pessoas, o descarte correto do óleo ainda gera muitas dúvidas – surgindo, por vezes, no momento do descarte, perguntas como: “despejo direto na pia?”, “devo armazenar num local apropriado?” ou “se armazenar, para onde levo?”. Existe uma solução para esse óleo residual?

Quando descartado na pia, o óleo de fritura pode causar o entupimento das tubulações nas redes de esgoto, contaminar a água e ainda impermeabilizar o solo. De acordo com estudo feito pela Sabesp, um litro de óleo de fritura pode contaminar cerca de vinte mil litros de água – o que alerta para a necessidade do cuidado com esse resíduo. Além do impacto ambiental, essa atitude equivocada pode aumentar os custos de tratamento em até 45%.


Embora o óleo de fritura, sob um primeiro impulso, seja visto como um resíduo, ele pode ser encarado, à segunda vista, como uma matéria-prima potencial. Uma alternativa simples e barata para a reutilização desse óleo é transformá-lo em sabão para uso doméstico. Alternativa esta que sai da cozinha e que, fornecido o devido tratamento, pode ser utilizada na limpeza da casa.

Alguns locais em Salvador recebem o óleo de fritura coletado pelas pessoas em suas residências ou estabelecimentos comerciais e dão um destino correto para esse resíduo. É possível conferir os principais pontos de coleta através do site coleta seletiva, disponibilizado pela Prefeitura. Com informações como essa, surgem atitu